Total de visualizações de página

30 de maio de 2010

PENSAR É TRANSGREDIR


"Não lembro em que momento percebi que viver deveria ser uma permanente reinvenção de nós mesmos — para não morrermos soterrados na poeira da banalidade embora pareça que ainda estamos vivos. Mas compreendi, num lampejo: então é isso, então é assim. Apesar dos medos, convém não ser demais fútil nem demais acomodada.

Algumas vezes é preciso pegar o touro pelos chifres, mergulhar para depois ver o que acontece: porque a vida não tem de ser sorvida como uma taça que se esvazia, mas como o jarro que se renova a cada gole bebido. Para reinventar-se é preciso pensar: isso aprendi muito cedo. Apalpar, no nevoeiro de quem somos, algo que pareça uma essência: isso, mais ou menos, sou eu. Isso é o que eu queria ser, acredito ser, quero me tornar ou já fui. Muita inquietação por baixo das águas do cotidiano.

Mais cômodo seria ficar com o travesseiro sobre a cabeça e adotar o lema reconfortante: "Parar pra pensar, nem pensar!" O problema é que quando menos se espera ele chega, o sorrateiro pensamento que nos faz parar. Pode ser no meio do shopping, no trânsito, na frente da tevê ou do computador. Simplesmente escovando os dentes. Ou na hora da droga, do sexo sem afeto, do desafeto, do rancor, da lamúria, da hesitação e da resignação. Sem ter programado, a gente pára pra pensar. Pode ser um susto: como espiar de um berçário confortável para um corredor com mil possibilidades.

Cada porta, uma escolha. Muitas vão se abrir para um nada ou para algum absurdo. Outras, para um jardim de promessas. Alguma, para a noite além da cerca. Hora de tirar os disfarces, aposentar as máscaras e reavaliar: reavaliar-se.

Pensar pede audácia, pois refletir é transgredir a ordem do superficial que nos pressiona tanto. Somos demasiado frívolos: buscamos o atordoamento das mil distrações, corremos de um lado a outro achando que somos grandes cumpridores de tarefas. Quando o primeiro dever seria de vez em quando parar e analisar: quem a gente é, o que fazemos com a nossa vida, o tempo, os amores.

E com as obrigações também, é claro, pois não temos sempre cinco anos de idade, quando a prioridade absoluta é dormir abraçado no urso de pelúcia e prosseguir, no sono, o sonho que afinal nessa idade ainda é a vida.

Mas pensar não é apenas a ameaça de enfrentar a alma no espelho: é sair para as varandas de si mesmo e olhar em torno, e quem sabe finalmente respirar. Compreender: somos inquilinos de algo bem maior do que o nosso pequeno segredo individual.

É o poderoso ciclo da existência. Nele todos os desastres e toda a beleza têm significado como fases de um processo. Se nos escondermos num canto escuro abafando nossos questionamentos, não escutaremos o rumor do vento nas árvores do mundo. Nem compreenderemos que o prato das inevitáveis perdas pode pesar menos do que o dos possíveis ganhos. Os ganhos ou os danos dependem da perspectiva e possibilidades de quem vai tecendo a sua história.

O mundo em si não tem sentido sem o nosso olhar que lhe atribui identidade, sem o nosso pensamento que lhe confere alguma ordem. Viver, como talvez morrer, é recriar-se: a vida não está aí apenas para ser suportada nem vivida, mas elaborada. Eventualmente reprogramada. Conscientemente executada. Muitas vezes, ousada.

Parece fácil: "escrever a respeito das coisas é fácil", já me disseram. Eu sei. Mas não é preciso realizar nada de espetacular, nem desejar nada excepcional. Não é preciso nem mesmo ser brilhante, importante, admirado.

Para viver de verdade, pensando e repensando a existência, para que ela valha a pena, é preciso ser amado; e amar; e amar-se. Ter esperança; qualquer esperança. Questionar o que nos é imposto, sem rebeldias insensatas mas sem demasiada sensatez.

Saborear o bom, mas aqui e ali enfrentar o ruim. Suportar sem se submeter, aceitar sem se humilhar, entregar-se sem renunciar a si mesmo e à possível dignidade. Sonhar, porque se desistimos disso apaga-se a última claridade e nada mais valerá a pena.

Escapar, na liberdade do pensamento, desse espírito de manada que trabalha obstinadamente para nos enquadrar, seja lá no que for. E que o mínimo que a gente faça seja, a cada momento, o melhor que afinal se conseguiu fazer."

Lya Luft

29 de maio de 2010

Do que eu gosto


Maçã do amor, cobertor, por do sol, cheiro de pão, mergulhar, cólo, risadas, banho quente, abraço, torta de morango, filmes de amor, prensadinho, roupa nova, viajar,
Dançar, pantufas, histórias bem contadas, pastel quentinho, espelho, cheiro de café, doce de abóbora, andar de bicileta, parque de diversão, pipoca com melado,
Carinho, passear ao ar livre, cavalos, tudo que é rosa, fotografar, bife acebolado, banho de cachoeira, maquiagem, cheiro de flor, torta fria, desenhar, embalar na rede, ouvir música,
Conversas longas, jantar a luz de velas, unhas vermelhas, suco de abacaxi, festas de aniversário, chimarrão, pijama, plets rosa, compaixão, churrasco de domingo, noite de Natal,
Dormir abraçado, alaminuta com coca, cinema, a praça de Sto Ângelo, céu estrelado, cheiro de bebê, banho de chuva, quentão, gentilezas, batata frita,...

Nossa, tanta coisa!
Tantas sensações positivas e inspiradoras, tantas coisas que simplismente por exisitr já me tornam mais feliz.
Há tanta graça em viver!!

Cansaço


Nunca dei muita importância quando diziam q todo mundo precisa de férias, que descansar é essencial e privar-se disto é perder a sintonia de nós mesmos.

Mas estou começando a achar que depois de um certo tempo, esta verdade torna-se cada vez mais absoluta.

Muitas vezes, adiamos nossos momentos de folga, ou simplismente a substituimos por outros afazeres.

Por que tirar férias do trabalho não implica necessariamente o descanso, a não ser é claro que nos isolemos de tudo e de todos por um tempo, o que hj em dia é quase impossível.

Acho que todo mundo deveria ganhar uma vez por ano um "vale fazer nada" de 1 semana.

Uma semana, só descansando, isolado de tudo e de todos, num lugar de natureza bela e silenciosa, tomando banhos quentes e demorados, se alimentando sem pressa, longe do relógio, telefone, internet e totalmente desligados de todo e qualquer compromisso.

Recebendo massagens relaxantes, ouvindo músicas relaxantes, tudo no maior relax...

Até nos cansarmos desta maré vagarosa e voltarmos revitalizados pra nossa agitada realidade.

É muito bom ter o que fazer, com o que nos preocupar, ter algo que nos impulsione a crescer e querer sempre o melhor.

Mas tem hora que cansa, é tanta coisa na cabeça, tantos medos, preocupações, exigências de todos os lados, que a vontade de fugir as vezes se torna inevitável.

1 semana por ano assim me bastava... Voltaria outra Daniela. Uma Daniela muuito melhor.

Mas enquanto este "vale fazer nada por 1 semana" não chega, devemos tentar reorganizar tudo para que a vida não seja apenas um acúmulo de afazeres e obrigações, e que consigamos arranjar um momento do dia pra nós mesmos.

Um momento de relaxamento e refúgio, seja na hora do banho, no intervalo do almoço, ou meia hora antes de dormir.

Não importa, mas é preciso, realmente preciso...

26 de maio de 2010

Prisioneiros do relógio...




"Me lancei algemas


estou preso em meus medos


Tenho a chave nas mãos


mas a deixo cair entre meus dedos


E não crio um novo mundo…


Todos os dias se seguem


arrastando as mesmas horas


Tenho a impressão de que a novela


sempre repete a mesma história




Ou fui eu quem não mudou de capitulo?..."

25 de maio de 2010


“Eu nunca tive vocação pra alegria tímida,
pra amor mal resolvido,sem soluços.
Eu quero da vida o que ela tem de cru e e belo.
Estou aqui pra aprender a gostar de cada detalhe,
E pra seduzir somente o que me acrescenta.
Adoro a poesia e gosto de descascá-la.
A palavra é meu inferno e minha paz.
Sou dramática, intensa, transitória...
E tenho uma alegria que me deixa exausta.
Eu sei sorrir com os olhos e gargalhar com o corpo todo.
Sei chorar toda encolhida.
Por isso, não me venha com meio-termos, com mais ou menos ou qualquer coisa.
Venha a mim com corpo, alma e falta de ar...
Eu acredito é em suspiros,
mãos massageando o peito ofegante de saudades,
em alegrias explosivas,
em olhares faiscantes,
em sorrisos com os olhos,
em abraços que trazem vida pra gente.
Acredito em coisas sinceramente compartilhadas.
Em gente que fala tocando no outro, de alguma forma,
no toque mesmo, na voz, ou no conteúdo.
Eu acredito em profundidades..."

(Maria de Queiroz)

"Roubado" do blog da Beta

ORIGEM DO BLOG


Hoje venho contar quem foram as pessoas responsáveis pela minha vontade de criar este blog.
Na verdade sempre tive a necesidade gritante de expor minhas idéias de alguma forma, só ainda não tinha descoberto como.
Até que um dia vislumbrei o blog da minha conterrânea Beta Nunes, e me apaixonei pelo "recurso". Adorava (e adoro) ler o blog dela, ô menina que fala com o coração!! Também, escritora desde criancinha, o que vcs queriam. Com o seu blog "trocadeafeto", comecei a me encantar com as palavras cheias de sentimento e vida.
Foi aí que conversando via msn (sempre) com minha amiga também blogueira Carla, ela me propôs que eu criasse o meu blog. Será? Pensei...
Estava num momento meio conflituoso, e no meio de outra conversa virtual bastante intrigante (rsrs) com meu amigo Fabrício, me veio a decisão à mente: É ISSO, VOU FAZER UM BLOG!!
E na hora surgiu o dito nome, que vindo de mim não poderia ser diferente: MENTES INQUIETAS!! E quanta inquietude!!!
Um blog pra mim é uma mistura de divã e conversa ao pé do ouvido com o melhor amigo. Aqui escrevo tudo que penso (ou quase tudo), o que me alegra, o que me estressa, o que me faz bem. Poesias, pensamentos, músicas, imagens...
Um universo que se abre e me faz sentir mais feliz e VIVA!!
Obviamente nem de longe tenho alguma pretensão literária, este é apenas um canal de desabafo.
Então tá aí, mais uma invenção da inquieta Daniela, num mundo de maioria plácida!!
Bjss!!

21 de maio de 2010

VAMOS FAZER UM FILME Legião Urbana


"Achei um 3x4 teu e não quis acreditar
Que tinha sido há tanto tempo atrás
Um bom exemplo de bondade e respeito
Do que o verdadeiro amor é capaz
A minha escola não tem personagem
A minha escola tem gente de verdade

Alguém falou do fim-do-mundo,
O fim-do-mundo já passou
Vamos começar de novo:
Um por todos, todos por um
O sistema é mau, mas minha turma é legal

Viver é foda, morrer é difícil
Te ver é uma necessidade
Vamos fazer um filme
O sistema é mau, mas minha turma é legal

Viver é foda, morrer é difícil
Te ver é uma necessidade
Vamos fazer um filme

E hoje em dia, como é que se diz: "Eu te amo."?
E hoje em dia, como é que se diz: "Eu te amo."?

Sem essa de que: "Estou sozinho."
Somos muito mais que isso
Somos pingüim, somos golfinho
Homem, sereia e beija-flor
Leão, leoa e leão-marinho
Eu preciso e quero ter carinho, liberdade e respeito
Chega de opressão:
Quero viver a minha vida em paz

Quero um milhão de amigos
Quero irmãos e irmãs
Deve de ser cisma minha
Mas a única maneira ainda
De imaginar a minha vida
É vê-la como um musical dos anos trinta
E no meio de uma depressão
Te ver e ter beleza e fantasia."

20 de maio de 2010

Maçã podre contamina as outras?


Hoje me peguei com esta singela indagação na mente...
Até que ponto é verdade essa história que ouvimos desde a mais tenra idade: "diga-me com quem andas que te direi quem és", "a fruta não cai longe do pé" e por aí vai.
Desde pequenos ouvimos os pais alertarem: cuidado com as companias, olha as amizades...
E desde então iniciamos a busca incessante pela "tribo" ideal. Aquela que nos agrada, mas que também não desagrada aos outros. E ficamos buscando amizades que são vistas com bons olhos a todos que nos rodeiam, e então tudo bem. Será?
Até que ponto as outras pessoas a nossa volta nos influenciam, a ponto de moldarmos nossas próprias atitudes perante as atitudes delas?
Isso existe, claro que sim, mas me desculpem os pais preocupados de plantão, não é regra, meeeesmo.
Posso dizer por experiência própria e pela experiência de pessoas que conheço, que a convivência com pessoas "politicamente incorretas" não irá levá-lo ao gueto das relações sociais. Pela boca dos malidicentes talvez, mas pela sua própria auto reputação, NÃO!
Sem falar no contrário, andar com pessoas de perfil impecável, mas que conhecendo a fundo nos faz descobrir pessoas bem mais venenosas e impuras que aqueles já crucificados pela opinião alheia.
É isso aí meus amigos, as aparências enganam!!!! Esta verdade sim é nua e crua!!!
Cada ser humano é único na sua essência, e ele é o que é, independente do meio externo que o rodeia.
Se a essência é boa, trilhará sempre pelo caminho do bem, mas se é ruim, não tem jeito, dificilmente mudará um dia.
É claro que até se moldar totalmente a personalidade e caráter do indivíduo, alguns deslizes poderão ocorrer no meio do caminho...
Aí então entra a DECISÃO PESSOAL: persisitir no erro ou correr atrás do que é certo.
Mas o que torna uma pessoa honrada e digna?
A educação e valores passadas pelos pais?
A meu ver é o que mais conta.
Por que por mais influência externa que o mundo venha a trazer a seu filho, os valores passados a ele por você ficarão intactos, pode ter certeza.
Existem pais que não confiam apenas nisto, e preferem criar os filhos numa redoma de vidro, tendo a falsa ilusão de aí sim protegè-los contra tudo e contra todos.
Erro fatal!!!
Por que com isso, conseguirão exatamente o contrário. Afinal o filho não conhecerá nada do mundo lá fora, e fatalmente quando chegar o dia do confronto com a realidade, ele irá sofrer, chorar e se machucar, e as vezes até seriamente...
Falo tudo isso baseando-me nas minhas experiências, por que na vida tive limites sim, mas quando foi chegada a hora de cada coisa nova se mostrar a minha frente, segui firme e forte sem medo, pois sabia que lá atrás tinha alguém que tinha me ensinado a lição direitinho, e que agora era a minha vez de trilhar meu próprio caminho, de cabeça erguida...
E segue a vida!!!

15 de maio de 2010

DESACELERAR URGENTE!


É incrível como hoje em dia a grande maioria das pessoas vem precisando de uma "ajuda química" para tocar a vida de forma mais tranquila.
Sim, há tempos atrás as palavras depressão, síndrome do pânico e outras mais, nem faziam parte do nosso vocabulário, mas hj... todo mundo sabe o que é.
E estes males da vida moderna não escolhem suas vítimas de forma coerente, já que atinge também pessoas que jamais imaginaríamos serem a cometidas deste "mal".
Muitas vezes pessoas alegres, pra cima, de repente recolhem-se num mundo interno perturbado e obscuro, e acabam precisando de ajuda médica para conseguir voltar à sua verdadeira realidade.
Eu acho que o motivo desta epidemia emocional é na verdade um conjunto de coisas: dentre elas muita cobrança, concorrência, necessidade de ser perfeito em tudo, a corrida insessante atrás do dinheiro, o distanciamento de Deus...
Isto tudo está fazendo com que muitos acabem se perdendo e tropeçando no caminho, ficando cada vez mais difícil levantar sozinho.
É que tá tudo DEMAIS hoje em dia.
A violência absurda que nos faz trancar-se a sete chaves temendo até o som da campainha.
A necessidade gritante e desesperada de ter que ganhar muito dinheiro para tentar satisfazer todas as necessidades materiais que a cada dia parecem aumentar numa progressão absurda.
A pressão de ter que ser sempre o melhor em todos os aspectos da vida, cada vez mais e mais afazeres... Mas o tempo...
O tempo continua o mesmo, as mesmas 24h por dia de 60 anos atrás...
E aí, não vemos mais o tempo passar.
Piscamos e já é hora de levantar,
piscamos e já é hora do filho ir à escola,
piscamos e lá se vão nossos avós, piscamos e já é Natal.
E o tempo:
Olhamos pra trás e é como se não tivéssemos vivido.
Aquele dia, aquele mês, aquele ano. Se foi... E não volta mais.
E a roda gira cada vez mais rápido, e as pernas já não acompanham mais a velocidade.
É o mal dos tempos, e por isso a maioria não aguenta e "pifa".
Por que hoje vivemos como máquinas, e esquecemos que somos só humanos.
Que temos nossos limites, cada vez mais negligenciados por nós mesmos.
Que não respeitamos mais o ritmo normal da vida.
Que atropelamos nossas necessidades, querendo acelerar tudo pra que, pra que, pra que!
TODOS PRECISAMOS D E S A C E L E R A R !!!

Vamos respirar fundo e viver cada coisa de uma vez, exigir menos de nós mesmos.
Isso não quer dizer parar de evoluir ou estagnar-se.
Quer dizer tentar viver da forma correta, sentindo o tempo com todos os seus temperos e nuances.
Precisamos sentar à varanda e admirar o horizonte, vislumbrar mais nossos filhos, saborear o gosto do alimento, relaxar com a nossa música preferida, sentir o vento deslizando pelo corpo, ouvir o canto dos pássaros, fazer as pazes com nosso travesseiro...
Precisamos urgentemente parar de querer competir com nós mesmos atrás de algo que muitas vezes nem nós sabemos o que é.
Olhar mais pra dentro de nós e recolocarmos nossos pés no chão, dando um passo de cada vez, como nossos pais um dia nos ensinaram, tal qual nossos avós tão bem faziam...
Caso contrário, o que será dos nossos filhos.
Que Deus nos ajude a voltar aos trilhos...


14 de maio de 2010

"AMIGOS SÃO NOSSO ESPELHO..."


"Um amigo não racha apenas a gasolina: racha lembranças, crises de choro, experiências. Racha a culpa, racha segredos.
Um amigo não empresta apenas a prancha. Empresta o verbo, empresta o ombro, empresta o tempo, empresta o calor e a jaqueta.
Um amigo não recomenda apenas um disco. Recomenda cautela, recomenda um emprego, recomenda um país.
Um amigo não dá carona apenas pra festa. Te leva pro mundo dele, e topa conhecer o teu.
Um amigo não passa apenas cola. Passa contigo um aperto, passa junto o reveillon. Um amigo não caminha apenas no shopping. Anda em silêncio na dor, entra contigo em campo, sai do fracasso ao teu lado.
Um amigo não segura a barra, apenas. Segura a mão, a ausência, segura uma confissão, segura o tranco, o palavrão, segura o elevador.
Duas dúzias de amigos assim ninguém tem. Se tiver um, amém. "
(Martha Medeiros)

PEDAÇOS DE MIM (Martha Medeiros)


"Eu sou feito de
Sonhos interrompidos
detalhes
mal resolvidos

Sou feito de
Choros sem ter razão
pessoas no coração
atos por impulsão

Sinto falta de
Lugares que não conheci
experiências que não vivi
momentos que já esqueci

Eu sou
Amor e carinho constante
distraída até o bastante
não paro por instante

Já tive noites mal dormidas
perdi pessoas muito queridas
cumpri coisas não-prometidas

Muitas vezes eu
Desisti sem mesmo tentar
pensei em fugir,
para não enfrentar
sorri para não chorar

Eu sinto pelas
Coisas que não mudei
amizades que não cultivei
aqueles que eu julguei
coisas que eu falei

Tenho saudade
De pessoas que fui conhecendo
lembranças que fui esquecendo
amigos que acabei perdendo
Mas continuo vivendo e aprendendo."

13 de maio de 2010

Por onde andei (Nando Reis)


Desculpe
Estou um pouco atrasado
Mas espero que ainda dê tempo
De dizer que andei
Errado e eu entendo
As suas queixas tão justificáveis

E a falta que eu fiz nessa semana
Coisas que pareceriam óbvias
Até pra uma criança

Por onde andei?

Enquanto você me procurava
E o que eu te dei?
Foi muito pouco ou quase nada
E o que eu deixei?
Algumas roupas penduradas
Será que eu sei?
Que você é mesmo
Tudo aquilo que me faltava...

Amor eu sinto a sua falta

E a falta
É a morte da esperança
Como um dia
Que roubaram o seu carro
Deixou uma lembrança

Que a vida é mesmo

Coisa muito frágil
Uma bobagem
Uma irrelevância
Diante da eternidade
Do amor de quem se ama

Por onde andei?

Enquanto você me procurava
E o que eu te dei?
Foi muito pouco ou quase nada
E o que eu deixei?
Algumas roupas penduradas
Será que eu sei?
Que você é mesmo
Tudo aquilo que me faltava..

11 de maio de 2010

Chatice e mau humor merecem voadora!!!!


Fico impressionada de como pode haver no mundo tanta gente chata e mal humorada!

Por sempre trabalhar com o público, percebo que a maioria das pessoas é educada, cordial e simpática.

Mas quando aparece um chato, nossa, vale por cinco!

Se fazem perceber de longe, muito antes abrirem a boca!!

Pela respiração já se nota!

Coisa impressionante, eles fazem questão de agir de forma explícita, mostrando o teor de chatice impregnado naquele corpo para quem quiser (e não quiser) ver.

O jeito de bater a porta, a forma de olhar, de falar, de andar, e sim , de respirar até!

Aí quando nos deparamos com gente assim, existem casos em que não podemos escapar,

como é o caso do trabalho.

Então temos que nos tornar falsos plácidos e fingir que não percebemos a chatice extrema daquele ser, sabendo que ouviremos reclamações (claro), comentários desnecessários e todo tipo de chatice embutida no pacote.

E antes mesmo de abrirem a boca, já lançam aquele olhar que avisa: sim, eu sou muito chato e você será minha próxima vítima! E é como se ali se iniciasse um jogo mental, onde ficam testando as pessoas para ver até quando elas aguentam caladas tamanha chatice.

Com a vida vamos aprendendo a lidar com estes tipinhos, tentando é claro despachar essas criaturas o mais rápido possível da nosso campo de visão.

Mas e quando o chato é alguém mais próximo, como um parente por exemplo.

É, aí complica um pouquinho mais...
Por um lado eu até entendo os "malas" de plantão, porque no fundo todo chato é inseguro e precisa se auto afirmar de alguma forma, escolhendo a chatice para marcar território e se fazer notar na multidão, tadiiinhos, rsrs!
Mas então fica a dica: não sejam chatos seus chatos!!!!!

Levem a vida com mais leveza, tranquilidade e complacência. Livrem-se dessa murrinha de rabujentice e banhem-se com sais de alegria, sorrisos, simpatia, cordialidade, consideração e EDUCAÇÃO, acima de tudo!!!

É tão bom ser cordial com alguém e receber um sorriso de volta, as coisas ficam tão mais leves!

Mau humor até pode, de vez em quando, mas chatice não, nunca, neveeer!!

Bjs!

10 de maio de 2010

Antes,tristes lembranças...E hoje, DOCE REALIDADE!!!


Maio, mês das mães...
Começo do frio, tempo de ficar entocado em casa, embaixo das cobertas,
curtindo a família, com todos os controles remotos na mão, e ciscando pela internet.
Tomando um bom chimarrão, ou um bom café, fazendo nega maluca pra Isa,
hmm, chocolate quente também é uma boa!
E a fome, vontade de comer coisas quentes, pesadas e calóricas!
Mas este mês é marcado pela comemoração de dia das mães mesmo, que pra mim por muitos anos foi uma data triste, muito triste.
Hj faço questão que seja uma data comemorativa e feliz, sempre!
E assim o é, desde o mês de maio de 2005, quando já estava grávida da Isabella!!
Porém, antes disso, as coisas eram complicadas...
Lembro logo que minha mãe faleceu e eu tinha quase 12 anos, ficava pra morrer qdo ia se aproximando esta data e as professoras ficavam tramando mil e uma homenagens às mães.
Era muito triste aquilo tudo pra mim, mas eu não podia fugir daquilo, afinal, só eu não tinha mãe, meus colegas tinham.
Porém, nunca irei esquecer de um texto que a professora da sétima série nos passou, que falava dos tipos de mãe, e no final dizia:
"E TEM ATÉ PAI QUE É TIPO MÃE, ESTE ENTÃO É UMA BELEZA!"
Sim, sim, aquela frase tão insignificante para a maioria, mas de uma profundidade tão grande pra mim!!
Me deu um alento na alma, aquietou de certa forma meu coração, porque pude perceber que naquele momento, por mais q a dor da falta da minha mãe permanecesse pra sempre, eu teria o amor em dobro do meu pai, que fez valer em gênero, número e grau esta frase.
Minha mãe, meu tudo, meu pai, meu exemplo de vida, pai e mãe da melhor qualidade!!
Mas isto são apenas lembranças tristes, por que hj, dia das mães pra mim é e sempre será um dia feliz, doce, colorido e belo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Uma boa semana a tods!!

9 de maio de 2010

FELIZ DIA DAS MÃES!!!!!!!!!!!!!!!!!


"Ser mãe, é algo divino sem explicação, é um sentimento muito lindo que nos invade sem limites, um sentimento eterno que nos faz virar uma protetora incondicional.
É você amar alguém intensamente, mesmo sem ter visto o rostinho,ou ter tocado nesse serzinho que você carrega em seu ventre e que ainda não lhe foi apresentado, mas que você já tem grande amor por ele.
Ser mãe, é você esperar nove meses por uma pessoinha, com a certeza que ela veio para te fazer muito, muito feliz.
É você vibrar há cada sorriso, há cada gesto novo que essa pessoinha virá a fazer, que para você será um momento mágico, será uma vitória para ele e para você, pois você fez parte desse instante.
Ser mãe, é você ficar admirando o sono de seu filho e imaginando como será o seu futuro, e com os olhos cheio de lágrimas, você ora nesse momento para que tudo de certo em sua vida, e você sabe que essa pessoinha nem sempre vai poder estar bem protegida nos teus braços, por que em algum momento ele terá que seguir sua vida e aprender a andar com suas próprias pernas.
Enfim! Ser mãe, é agradecer há Deus todos os dias, por Ele ter dado a nós o dom divino de gerarmos o ser que nos fará a pessoa mais feliz do mundo e nos transformar nessa pessoa maravilhosa que é “mãe”, palavra tão pequena com significado infinito."

8 de maio de 2010

MARÉ DA VIDA


A vida é uma viagem louca, uma montanha russa repleta de

altos e baixos que as vezes nos deixa tontos e mareados.

Surpresas mil, acontecimentos que se acumulam em nossa existência,

mas que certamente nos transformam e nos tornam melhores em algum aspecto.

Não que o sofrimento ou as perdas sejam coisas boas, mas sempre aprendemos algo,

também com elas.

Me deparo muito com meu passado e minhas vivências, mas cada vez mais

eu me convenço que o importante é o hj, o agora!!

Estamos ao vivo e a cores fazendo nossa própria história, e cabe somente

a nós torná-la doce, prazerosa e bela.

Travar todos os nossos esforços para fazer valer, nos permitir celebrar

tudo que é bom, assim como nos deixar tocar pelo que é triste,

por que isto é SER HUMANO.

Sejamos humanos em nossas vidas sempre, para rir, para chorar,

pra perdoar, pra estravazar, pra amar!!!!!

Porém meus amigos, sem NUNCA, JAMAIS, esquecer do que passou,

e dos que passaram.

Por que esta é a nossa essência!!!!

E sem essência, viramos ZUMBIS EMOCIONAIS!

Bjsssssssssssssssssssssss!


6 de maio de 2010

PARA OS MEUS AMORES


Almas perfumadas
Ana Cláudia Saldanha Jácomo


"Tem gente que tem cheiro de passarinho quando canta. De sol quando acorda. De flor quando ri. Ao lado delas, a gente se sente no balanço de uma rede que dança gostoso numa tarde grande, sem relógio e sem agenda. Ao lado delas, a gente se sente comendo pipoca na praça. Lambuzando o queixo de sorvete. Melando os dedos com algodão doce da cor mais doce que tem pra escolher. O tempo é outro. E a vida fica com a cara que ela tem de verdade, mas que a gente desaprende de ver.

Tem gente que tem cheiro de colo de Deus. De banho de mar quando a água é quente e o céu é azul. Ao lado delas, a gente sabe que os anjos existem e que alguns são invisíveis. Ao lado delas, a gente se sente chegando em casa e trocando o salto pelo chinelo. Sonhando a maior tolice do mundo com o gozo de quem não liga pra isso. Ao lado delas,pode ser abril, mas parece manhã de Natal do tempo em que a gente acordava e encontrava o presente do Papai Noel.

Tem gente que tem cheiro das estrelas que Deus acendeu no céu e daquelas que conseguimos acender na Terra. Ao lado delas, a gente não acha que o amor é possível, a gente tem certeza. Ao lado delas, a gente se sente visitando um lugar feito de alegria. Recebendo um buquê de carinhos. Abraçando um filhote de urso panda. Tocando com os olhos os olhos da paz. Ao lado delas, saboreamos a delícia do toque suave que sua presença sopra no nosso coração.

Tem gente que tem cheiro de cafuné sem pressa. Do brinquedo que a gente não largava. Do acalanto que o silêncio canta. De passeio no jardim. Ao lado delas, a gente percebe que a sensualidade é um perfume que vem de dentro e que a atração que realmente nos move não passa só pelo corpo. Corre em outras veias. Pulsa em outro lugar. Ao lado delas, a gente lembra que no instante em que rimos Deus está dançando conosco de rostinho colado. E a gente ri grande que nem menino arteiro..."

4 de maio de 2010


"Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato. E então, pude relaxar. Hoje sei que isso tem nome... Auto-estima.

Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades. Hoje sei que isso é...Autenticidade.

Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento. Hoje chamo isso de... Amadurecimento.

Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo. Hoje sei que o nome disso é... Respeito.

Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável... Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo. Hoje sei que se chama... Amor-próprio.

Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro. Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo. Hoje sei que isso é... Simplicidade.

Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes. Hoje descobri a... Humildade.

Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece. Hoje vivo um dia de cada vez.
Isso é... Plenitude.

Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é... Saber viver!!!"

Charles Chaplin

O DESAPEGO


E viva a Internet!! Viajando por ela nos deparamos com textos tão maravilhosos e ricos, que não há como não ser compartilhado com os que nos cercam.
Achei este texto tão esclarecedor e instigante, espero que gostem:

"Entre falar e vivenciar o desapego há um espaço muito grande, pois ele mexe bastante com nossas emoções, deixando-nos vulneráveis e emotivos. Sim, não é fácil sairmos de nossa rotina, da sintonia com quem convivemos e nos lançarmos em situações diversas daquelas com as quais estamos acostumados, de afastarmo-nos de nosso “chão” e aconchego; ficamos como que perdidos e nos sentindo assim que nem um peixe fora d’água.
Mas chega um momento na vida em que é necessário reconhecer que a mudança é imprescindível, pois as circunstâncias atuais não são mais condizentes com nosso modo de ser e sentir e nem favorecem mais o nosso desenvolvimento, seja ele espiritual, material, intelectual, enfim, que não nos beneficia mais em todos os sentidos.
A mudança, então, surge como sinônimo de renovação, incitando-nos a libertarmo-nos de tudo o que nos impossibilita de seguirmos em frente, no caminho da reestruturação de nosso ser. Essa mudança é muitas vezes uma experiência nova e ao mesmo tempo assustadora, pois vamos constatar que para seguirmos adiante em nossos propósitos de mudança, precisamos, às vezes, largar o velho para seguir o novo;, significa que vamos ter que nos despedir de situações e planos antigos, que não estão nos fazendo ir a lugar nenhum e mergulharmos em novos caminhos, novos conceitos, livrarmo-nos dos pesos extras que tanto entulham nossa vida e aprendermos a aceitar o novo com o espírito receptivo e aberto.
É verdade que o desapego, de um certo modo, olhando exclusivamente do ponto de vista anterior, nos faz “sofrer”, pois nos sentimos assim como se tivéssemos chegado onde gostaríamos de estar sempre, e descobrimos que não podemos continuar a desfrutar do que conseguimos, e que, para nosso próprio bem, precisamos libertarmo-nos de situações do passado. Mas para que isso se dê não podemos mais ficar onde estamos, pois senão vamos nos sentir desmotivados, acomodados e insatisfeitos.
Essa é uma fase de muita perturbação, pois, ao mesmo tempo que queremos nos desligar, nos agarramos com todas as forças ao nosso jeito de ser e de agir do passado. Surge o medo de sairmos para uma nova situação, deixando atrás o nosso passado “seguro e confiável”. São dois extremos que nos deixam bastante angustiados. Creio que o que mais nos atemoriza é o medo de enfrentarmos situações desconhecidas, de não conseguirmos ir adiante sem a pseudo-segurança que tínhamos até então.
O medo vem também porque vamos, daí em diante, ser responsáveis por nós mesmos, por nossas atitudes, pensamentos e ações. Não podemos culpar ninguém por estarmos indo embora, nos despedindo das situações passadas para enfrentarmos o desconhecido, pois sentimos que a transmutação de energias só acontecerá realmente quando aprendemos a nos desapegar. De uma certa forma, o apego nos mantém presos a determinadas situações, enquanto o desapego nos liberta; quando nos desapegamos começamos a reconhecer nossa essência divina, e quando nos dispomos a acessar essa essência vemos que temos o poder de conquistar tudo o que queremos, mesmo que inicialmente, abandonarmos tudo a que estamos acostumados e exercitar o desapego possa gerar em nosso ser bastante angústia e incerteza.
O desapego mostra-nos inúmeras possibilidades e abre nosso campo para outras potencialidades. Começamos a entrar, mesmo um pouco incrédulos, numa maré da sorte, pois vemos surgir soluções para os problemas sem que sequer percebamos e as situações vão se adequando natural e espontaneamente.O certo é que não podemos, ao mesmo tempo, acumular as etapas da vida. É preciso sair de uma para entrar em outra. Para acessarmos o novo, precisamos deixar o velho; para acessarmos a luz é necessário sairmos da sombra; Estamos descobrindo que na vida existem sempre desafios a vencer e muitas oportunidades a vivenciar.
Aproveitemos então o momento propício para exercitarmos o desapego e transformarmo-nos no criador de nossa própria sorte, pois sempre é hora de reiniciar, de pensar na luz, de aprender algo novo e de exercitar o amor universal.
Inicie então o desapego comprometendo-se consigo mesmo a aceitar-se do jeito que você é realmente. Dê aos outros a mesma oportunidade. Experimente encarar a incerteza como uma alavanca na solução dos problemas e cultive o que é mais importante, que é saber que você é capaz de tudo e que o desapego é mais um aprendizado, um degrau que terá que percorrer."

3 de maio de 2010

Dia do meu maninho!!!!!


Hj é um dia muito especial, é aniversário d meu querido irmãozinho Eduardo!
Redududis, Dudu, Pato, chamem como quiser, heeh!!!
Não é porque ele é meu irmão, mas é um amor de pessoa!!
Querido, tranquilo, nunca deu trabalho!!!
Um menino de ouro!!!
26 aninhos hein Redududis!!!
Eu admiro muito ele, por tudo que ele é, e também pelo que passou na vida, mesmo tão pequenininho.
Teve que viver sem saber oque é ter uma mãe, já que a nossa faleceu quando ele tinha apenas 4 anos de idade, portanto ele nem tem lembranças dela. Apenas através das fotos e do que a gente conta pra ele...
E depois, aos 21 anos, teve que se despedir do nosso pai, que era tudo pra ele, e pra nós...
Então, é por estas e por outras que eu tenho tanta admiração, orgulho e respeito por ele, por ser quem é, um homem íntegro e de valores.
Uma pessoa que tinha "desculpas" pra justificar possíveis rebeldias ou desvios de caráter.
Mas não!!!!!!!
Meu irmão é a prova que integridade e caráter independem dos desígnios da vida, e por isso sou fã número 1!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
É isso aí Dudu, tu é o cara, continue assim sempre, nos enchendo de orgulho!!
TE AMOOO!!!!!!!

Achei este texto na web, e caiu como uma luva p ele:

"Meu irmão...
Um irmão pode ser a continuação de nós mesmos, como a nossa mão é a extensão de nosso braço.
Você é isso para mim, uma continuação do meu jeito de ser, de viver e de olhar o mundo.
Acho que conseguimos aprender o que nossos pais nos ensinaram com tanto amor.
Por isso mesmo, hoje comemoro com você o seu aniversário, como se fosse um pouco do meu. Não quero com isso, roubar a sua vida, apenas dividir com você os momentos importantes,
e por isso quis que você ouvisse essa mensagem no despertar do seu aniversário.
Você tem sido um irmão especial, maravilhoso, sempre presente e todas as preces que eu faço a Deus para protegê-lo ainda serão poucas.
Seu caminho haverá de ser sempre cheio de luz e a felicidade sua companheira do dia-a-dia. Quero que você seja sempre esse homem íntegro, forte e bondoso para ser sempre bem amado por todos. Te adoro muito!"

2 de maio de 2010

Domingão ão ão!!


Hj, depois de um almoço tipicamente italiano com direito a muito galetinho,

nos preparamos p mais um clássico Grenal, dá-lhe Grêmioooooooooooooo!!!!!!!!!!!!!

E depois vamos levar a Isa p ver o show dos Backiardigans aqui em Cruz Alta!!!

É isso aí, um ótimo domingo a todos!!!!!
"VAMO VAMO TRICOLOR, HOJE EU VIM TE APOIAR, PRA TE VER CAMPEÃO, PRA TE VER GANHAR!!!!! VAMO GRÊMIO, RAÇA TRICOLOR!!!!!!!!!

1 de maio de 2010

Vídeo Alta Noite Marisa Monte


Brindo a casa, brindo a vida, meus amores, minha família!!


Eu com insônia!

Bah, essa é novidade p mim. Altas horas da madruga de sexta p sábado e eu aqui, olhando fotos, fuçando orkut e matando a velha conhecida saudade daqueles que estão longe.

Mas feliz, muito feliz!!!!!!!

Feliz pela linda família que tenho, a que dorme tranquilamente ao meu lado (Isa e Fa) e a que dorme tranquilamente a alguns quilometros daqui, hehehe!!!!!

Feliz por tudo que conquistei até hj em minha vida!!!

Feliz pela saúde dos meus e pela minha é claro!!!!

Feliz por ver pessoas que amo conquistando seus objetivos!!!!

Feliz por estar vivaaa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Não me canso de dizer, obrigado meu Deus por cuidar de nós,

e até mesmo de quem não acredita na sua palavra...

Acho que agora vou dar uma descansadinha, espero que o sono venha...

Vou dormir em paz, boa noiteeeeeeeeeeeeeeee!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Ah, e quero mandar alguns beijos especiais:

p minha prima Carol (quebra td aí em POA!)

p Beta querida que tá de níver hj (sou fã!)

p os meus maninhos queridos Dudu e Angela

p Bruninho fofo da dinda

p Rafa e p Fabi

p Soadre, Dani, Carla e Pati

p meu primo Marcelinhusss

...hmm, por hj acho que deu, hehe!!


Durmam bem meus amoress!!!!!!!!!